Comunidade Santo Antônio comemora dia de seu padroeiro

Aos treze dias do mês de junho de dois mil e dezoito, a Comunidade Santo Antônio – Cumuruxatiba, da Paróquia Nossa Senhora da Purificação, festejou o dia de seu padroeiro, Santo Antônio de Pádua. Teve início com a procissão pelas ruas do distrito, e em seguida a Santa Missa, presidida pelo Padre Aldomiro Aciole, Administrador Paroquial.

 

 

 

 

 

 

 

 

Proclamação do Evangelho

Meus irmãos e minhas irmãs, hoje estamos no grande dia da festa de Santo Antônio, cujo tema é: “A exemplo de Santo Antônio, sejamos praticantes do Evangelho de Jesus Cristo.” Praticar o Evangelho de Jesus Cristo é primeiro escutar, segundo colocar esse evangelho dentro do coração e terceiro sair para ação, missão. Hoje por exemplo, o Evangelho vai nos mostrar que somos poucos discípulos. Poucos atendem o chamado, e arregaçam as mangas para levar a Palavra de Deus (…)
Todo povo batizado deve levar a paz em seu coração, e não o ódio, a confusão. Viver em paz consigo e com os irmãos. As vezes não conseguimos estar em paz com os outros, porque não estamos em paz conosco. Deus não é o Deus da guerra, é o Deus da Paz (…) Santo Antônio sabia dialogar com o outro, levar a conversão à outras pessoas, através do seu testemunho. (Pe. Aldomiro Aciole)

“Jesus Cristo quer de tal modo unir-se conosco, pelo amor ardente que nos tem, que nos tornemos uma só coisa com Ele na Eucaristia”. – São João Crisóstomo

Ao final da Santa Missa, ocorreu a benção dos pães.

O pão constitui um elemento inseparável de toda a devoção a Santo Antônio, independente de sua origem. Ele até se chama “Pão de Santo Antônio”. A história do “Pão de Santo Antônio” remonta a um fato curioso que é assim narrado: “Antônio comovia-se tanto com a pobreza que, certa vez, distribuiu aos pobres todo o pão do convento em que vivia. O frade padeiro ficou em apuros, quando, na hora da refeição, percebeu que os frades não tinham o que comer: os pães tinham sido roubados”. Atônito, foi contar ao santo o ocorrido. Este mandou que verificasse melhor o lugar em que os tinha deixado. O Irmão padeiro voltou estupefato e alegre: os cestos transbordavam de pão, tanto que foram distribuídos aos frades e aos pobres do convento. Até hoje na devoção popular o “pãozinho de Santo Antônio” é colocado, pelos fiéis nos sacos de farinha, com a fé de que, assim, nunca lhes faltará o de que comer.

Por: PASCOM Prado

Post Author: Juliana.Pascom